SINAIS VESTIBULARES E LOCALIZAÇÃO DAS LESÕES POR RM: 20 CASOS

J.Ribeiro1,2, D.Santos1,2,3, T.Horta1,2,4

1- Clinica Veterinária ANI+, Queluz; 2- Ressonância Veterinária RRV, Alcoitão; 3- Universidade de Évora, Polo da Mitra, 4-Faculdade de Medicina Veterinária UTLisboa.Os sinais de disfunção vestibular (DV) incluem inclinação da cabeça (IC), ataxia vestibular (AV), nistagmo e estrabismo posicional. A interpretação cuidadosa do exame neurológico geralmente permite classificar os quadros de DV como síndromes vestibulares periféricos (SVP) ou centrais (SVC). Anatomicamente, as SVP resultam de lesão no aparelho vestibular do ouvido interno e/ou no nervo vestibulococlear (NC VIII), e as SVC resultam de lesão no sistema nervoso central (SNC). Este estudo retrospectivo relaciona os achados do exame neurológico com a localização das lesões observadas na Ressonância Magnética (RM) em 20 pacientes com DV. Os pacientes referenciados com sinais de DV, 19 cães e 1 gato, foram classificados no grupo SVP (10/20) ou SVC (10/20). A todos foi realizada ressonância magnética numa unidade de 0,2T com sequências T1, T2, FLAIR, e T1 pós contraste (Gadolínio). Em 8 casos existe informação sobre o líquido cefalorraquidiano (LCR). Os pacientes nos quais não foram detectadas lesões na RM foram classificados como idiopáticos (8/20). 

Os resultados estão resumidos na tabela abaixo:

Caso Clínico / Raça

Inclinação da Cabeça

Ataxia Vestibular

Estrabismo Posicional

Nistagmo

Outros Sinais Neurológicos

Classificação

Clínica

RM Lesões

Localização Anatómica

1

Staffordshire

E e D

OD e OE

SIM

SVC

Central

Cerebelo

2

Caniche

E e D

SIM

SVC

Central

SNC Multifocal

3

Lhasa Apso

E e D

SIM

SVC

Central

SNC Multifocal

4

Cocker Spaniel

E

E

OE

H,R, CRD

SVP

Periférico

Ouvido Médio/Interno esq.

5

Epagneul Breton

D

E e D

OD

SVC

Central

SNC Multifocal

6

ND

E

OE

SVP

Idiopático

7

Bichon Maltês

D

OD

H,R, CRE

SVP

Idiopático

8

ND

D

D

V

SIM

SVC

Central

Tr. Cerebral dto.

9

Labrador

E

E

OE

SVP

Idiopático

10

ND

E

R, CRD

SVP

Idiopático

11

Cavalier KC

D

D

H, CRE

SVP

Idiopático

12

Staffordshire

E e D

OD e OE

V

SIM

SVC

Central

SNC Multifocal

13

Rottweiller

D

D

OD

R, CRV

SIM

SVC

Central e Periférico

Ouvido M/I + Tr. cerebral

14

Labrador

E

E

R, H, CRD

SIM

SVP

Periférico

Ouvido médio/interno esq

15

ND

E

E

OE

H, CRE

SIM

SVC

Central

SNC Multifocal

16

Setter Irlandês

E

E

OE

H, CRD

SVP

Idiopático

17

Cocker Spaniel

D

D

OD

SVP

Periférica

Ouvido médio/interno dto

18

Europeu Comum

E e D

SIM

SVP

Idiopático

19

Caniche

D

D

OD

i

SIM

SVC

Central

Cerebelo esq.

20

Pinsher

D

OD

SIM

SVC

Central

Cerebelo, Tr. cerebral

Legenda.; CRD: componente rápido à direita; CRE: componente rápido à esquerda; D: para o lado direito; E: para o lado esquerdo; H: horizontal; i: inicialmente descrito mas não observado no exame neurológico; OD: olho direito; OE: olho esquerdo; R: rotatório; RM: ressonância magnética; SNC: sistema nervoso central; SVC: siíndrome vestibular central; SVP: síndrome vestibular periférica; V: vertical;Uma grande variedade de etiologias e localizações lesionais podem estar associadas a DV.Nesta série, todos os casos classificados como SVC mostraram na RM lesões do SNC, mas os sinais indicadores de lesão central podem ser subtis e/ou desvanecer rapidamente, propiciando a sua errónea classificação como SVP. Todos os casos idiopáticos foram avaliados clinicamente como SVP. À excepção dos idiopáticos, todos os casos SVP tinham lesão no ouvido médio/interno detectável na RM. Este estudo poderá contribuir para a importância de um exame neurológico minucioso e precoce nos casos de DV, e avaliar a utilidade da RM na sua investigação.

J.Ribeiro, D.Santos, T.Horta

 2010


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *